Sociedade Broteriana
Palestra Dr. Jorge Paiva e inauguração da exposição “Histórias de Expedições botânicas”. 21.ª SEMANA CULTURAL UC.

No próximo dia 15 Março, o botânico Jorge Paiva proferirá a palestra inaugural da exposição "Histórias de Expedições Botânicas". A sua vasta experiência, resultante das cerca de 20 explorações botânicas que realizou em África durante as últimas décadas, permitem-lhe contar, na 1ª pessoa, os desafios, dificuldades e o dia a dia dos exploradores botânicos. “Expedições Botânicas – um testemunho” realçará também a importância destas actividades para o conhecimento da diversidade vegetal.

Na ocasião, a Sociedade Broteriana outorgará a Jorge Paiva o título de sócio honorário, em reconhecimento da intensa actividade científica na área de botânica, e da participação activa na vida da Sociedade (da qual é sócio desde os tempos de estudante e onde desempenhou cargos directivos e editoriais).

Palestra "A obra de José Lutzenberger"

No próximo dia 3 de Fevereiro (sexta-feira), pelas 14h30 e no anfiteatro 2 do Departamento de Ciências da Vida (lado da Antropologia, 1º andar) da Universidade de Coimbra, terá lugar uma conferência sobre a obra do Engº José Lutzenberger, que foi um dos mais importantes ecólogos brasileiros (e mundiais) do século XX. A palestra estará a cargo do Engº Giovanni de Alencastro, que foi discípulo do Engº Lutzemberger.

Arquivo do Visconde de Vila Maior, antigo reitor da UC, vai estar em exposição na Biblioteca Joanina

Para assinalar a conclusão do projeto "O Arquivo Pessoal e Familiar do Visconde de Vila Maior – preservar memória, divulgar o passado", arquivo que está à guarda do Departamento de Ciências da Vida (DCV) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), realiza-se, no próximo dia 15 de novembro, um colóquio subordinado ao tema “A Vinha das Vinhas - apontamentos ampelográficos” e será inauguradaa exposição documental “Visconde de Vila Maior: o arquivo (s)em reserva”.

O colóquio tem início às 14h30m, na Sala Pedro Nunes do Departamento de Matemática da UC, e a inauguração da exposição vai decorrer às 17h30m, no piso intermédio da Biblioteca Joanina.

Financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e proposto pela Sociedade Broteriana (a primeira sociedade botânica em Portugal) e pelo Departamento de Ciências da Vida, o projeto “O Arquivo Pessoal e Familiar do Visconde de Vila Maior” incluiu o restauro da documentação, a descrição arquivística e a disponibilização da informação on-line. Fica assim disponível à comunidade o arquivo documental da vida pública, mas também privada, de Júlio Máximo de Oliveira Pimentel (1809-1884), 2º visconde de Vila Maior, que  com a sua amplitude de interesses foi militar, político, químico, comissário de exposições internacionais, estudioso da vinha e do vinho e reitor  da UC. Durante o seu reitorado (1869-1884), o Visconde de Vila Maior estabeleceu uma escola Ampelográfica no Jardim Botânico.

A exposição documental “Visconde de Vila Maior: o arquivo (s)em reserva” retrata a sua atividade pessoal, académica e profissional. Ao todo foram selecionados 70 documentos, distribuídos por 8 expositores e alguns objetos (retratos do Visconde, espécime de herbário, modelos botânicos, entre outros).

Sociedade Broteriana trata espólio do Visconde de Vila Maior

A Sociedade Broteriana está a tratar o arquivo pessoal e familiar do Visconde de Vila Maior, Reitor da Universidade de Coimbra entre 1869 e 1884.

O projeto, que inclui o restauro da documentação, a descrição arquivística e a disponibilização da informação on-line, é financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian através do programa “Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais”.

De seu nome Júlio Máximo de Oliveira Pimentel, o título de 2º Visconde de Vila Maior foi-lhe atribuído a 15 de julho de 1861. Para assinalar a efeméride, a Sociedade Broteriana, instalada no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), lembra o percurso desta ilustre personalidade.

O Visconde de Vila Maior cursou Matemática na Universidade de Coimbra, tendo obtido o grau de bacharel a 16 de junho de 1837. Notabilizou-se na área da Química, quer como professor na Escola Politécnica de Lisboa, quer como cientista.

Desempenhou o cargo de presidente (1858-1859) da Câmara Municipal de Lisboa; foi deputado às Cortes por Lisboa em mais de uma legislatura e par do reino e presidente interino da Câmara dos Pares, entre 1851 e 1856. Participou na comissão régia que representou Portugal na Exposição Universal de Paris em 1855.

Como químico e proprietário de extensas propriedades no Douro Vinhateiro, interessou-se pela enologia, viticultura e ampelografia. Entre múltiplas atividades científicas e políticas, destacou-se pela produção científica e teórica sobre a região do Douro, tendo publicado, entre outros trabalhos: “Memória sobre os processos de vinificação empregados nos principais centros vinhateiros do continente do reino, a norte do Douro (1867-1868)”, “Tratado de vinificação para vinhos genuínos (1868-1869) e “O Douro Ilustrado (1876)”.

No Jardim Botânico da Universidade de Coimbra fundou, em 1871, com o apoio do diretor, o Professor Júlio Henriques, uma “Escola Ampelográfica”, que contava com castas de videiras de diversas regiões do país, de Espanha, França, Alemanha, Itália, Grécia e América do Norte, chegando a atingir quase 2.000 plantas.

A memória deste insigne académico, cidadão e político encontra-se registada nas centenas de documentos, manuscritos e impressos que compõem a parte do seu arquivo pessoal e familiar, salvaguardado no Arquivo de Botânica do Departamento de Ciências da Vida da FCTUC.

Entre a vastíssima documentação, situada cronologicamente entre os séculos XVIII e XIX, em papel e pergaminho, contam-se centenas de cartas, diplomas, diários, inúmeros testamentos, escrituras, contratos de arrendamento, foros, recibos, décimas, faturas, etc., não só do VVM mas também de diversos familiares.

O projeto “O Arquivo Pessoal e Familiar do Visconde de Vila Maior – preservar memória, divulgar o passado” será concluído no próximo mês de outubro, data em que será apresentado publicamente através de uma exposição e conferências.